quinta-feira, 22 de julho de 2010

Meu sono intermitente

Submergido nos pensamentos mais insanos, lutando contra os maus pensamentos, tentando não deixar minha mente vazia, pro inimigo não se apossar.
Há muitos muros a serem derrubados, de um sonho que não consigo acordar.
Muros a serem derrubados e supremacia a serem abaladas.
Experimentei de tudo pra não adormecer, pedi pra experimentar o que há de, mais absurdo em nossa realidade!
Obviamente a retina dilatou-se, agredidas sem dó, sobre o nariz um monte de pó, mistura barata que se encontra nas esquinas pretensamente futurísticas da avenida pegue seu autógrafo com Deus ou o diabo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário